quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Autorealização

O que é autorealização para você?

Quais são os valores éticos e morais que nos baseamos hoje para nossas conquistas de amanhã?

A que mais damos importância em nossas vidas: ao dinheiro ou a vida?

Porque vivemos num mundo de tantas infelicidades, a busca pela tão sonhada felicidade (e nela diga-se autorealização) tornou-se algo acima de tudo; acima de famílias, de simplicidade, de humildade, de amor, de verdade, de justiça. Tudo pela satisfação do próprio ego e consequentemente levando ao egoísmo social: "o que me importa sou apenas eu, mais nada e ninguém.O importante é se dar bem a qualquer custo". Será mesmo? Será o correto?

Leiam o texto de Leonardo Boff, conforme link abaixo, e racionalizemos mais sobre essa questão de inversão de valores em nossa sociedade.

http://leonardoboff.wordpress.com/2011/11/01/a-dificil-busca-de-autorealizacao

terça-feira, 18 de outubro de 2011

As sierras do mundo...

Há 40 anos atrás (datado de 09/out de 1971) morria (pelas mãos da estadunidense CIA) um grande líder da esperança de um mundo igualitário e contudo, humanista. Morria mais do que Ernesto Guevara de La Sierna,morria Che Guevara, e com ele, a meu ver, a última nascente da luta contra os grilhões do capitalismo.

Depois dele, quem mais veio a lutar, doando a sua vida, por uma causa justa?

Muitos dizem que se ele ainda vivesse, que teria entrado no processo ditatorial de Fidel Castro e que Cuba amargaria como já o ocorre.Eu discordo veementemente!
Já em sua luta ao lado de Fidel, Che discutia e discordava em vários pontos de Fidel. Fidel já seguia uma linha teoricamente idealista e com princípios de prática de poder, ele não era comunista, como muitos pensam (e nesse caso, cito poder num sentido absolutista de governança); enquanto Che se mantinha na linha de manter na prática seu discurso social/comunista, e lutar, no sentido prático da palavra,pelo povo cubano e dos países vizinhos, incluindo sua terra natal, Argentina (já que para muitos que o criticam, acham que o mesmo nasceu cubano).se estivesse vivo hoje, Che até não poderia ter evitado a ditadura de Fidel, mas não estaria ao seu lado no poder (até mesmo porque ele chegou a ser seu Ministro da Industria e comércio e Presidente do Banco Nacional de Cuba, mas recusou o cargo, justamente por discordâncias em seu Governo, por meio de uma carta ao povo de Cuba, e foi em "peregrinação" a outros países, até ser morto na Bolívia).

Sou contra armas, e consequentemente a guerrilhas. Mas analisando a época em que Che lutava, ideológica e armamentistamente, não havia outra maneira de se derrubar a ditadura de Batista em 1959 e se propor uma nova forma de Governo, ir contra algo imposto militarmente somente pelo poder de persuasão da palavra, seria utopia pura!

Daí volto em minha questão inicial, hoje em dia, quem luta por ideais, mesmo que sejam os próprios? Quem luta contra as injustiças do sistema em que vivemos? Quem luta contra a ignorância imposta?

Os que tentam são repudiados como neo-anarquistas que não dão valor ao trabalho "suado", que é a "sina" (dita pelos conformistas como "destino")do trabalhador "prudente".

Eu não quero isso para a minha vida! E Che Guevara continua sendo sim, um modelo de quem coloca em prática o que crê, modelo de um visionário (muito mais, em minha opinião, do que dizem ser o recém falecido Steve Jobs).

E podem me dizer que o recebimento dele foi morrer, com 11 tiros pelo corpo, por seus ideais.
Mas lhes digo, que o maior recebimento foi nosso, porque Che foi alguém que pensou e agiu, e com isso, elucidou milhares de pessoas a refletirem, a procurar se questionar a fazer o mesmo (acredito que foi, e deva ser além de estampas em camisetas, mundo afora)!

Sem ele (e sem Marx e outros) eu não estaria agora discutindo minha condição de passividade diante dos meus ideais e muito menos das relações de trabalho atuais que somente nos automatiza e emburrece, ao invés de (em seu princípio no original socialismo) nos propiciar boas condições de vida e enobrecimento social/intelectual.

É isso que quero para minha vida, é o meu ideal, não sou hipócrita em dizer que o capital não é importante, afinal, sou economista. Mas mais importante, é colocar no que creio em prática!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Fime: A última estação

Filme que retrata a velhice e trabalho - grandes obras e pensamento social do escritor leo Tolstoi.
Vale a pena conferir, os dois lados da vida desse gênio: de um lado sua família de posses e riquezas e de outro o seu ideal de uma vida simplista e justa em sociedade.
Onde não há exatamente o "bom" e o "mal", mas sim o mais coerente. Provando que o radicalismo, independente de que parte advém, não é a melhor escolha, mas sempre a sensatez.

Vale muito ver o filme e ler mais sobre esse autor e suas obras, como "Guerra e paz".

A aristocracia econômica

"A intelligentzia do capital financeiro tupiniquim, serva dos interesses externos mas altaneira por aqui, depois de sua passagem pelo poder público, faz a farra no setor privado. os mais conformistas diriam que a vida (ou o capitalismo) é assim mesmo. o problema é que eles insistem em pregar meta de inflação de 2%, conversibilidade do real e a forte redução do nosso Estado do bem Estar Social.
Torna-se assim, necessária, quase um serviço de utilidade pública, uma sistematização antropológica desse grupo social, que combina teorias ditas modernas com um primitivismo ideológico rotundo.
São pré-keynesianos e pré-republicanos. creêm-se no século XXI, mas vivem no século XIX, padecendo de uma espécie de autismo temporal. são todos "cariocas", não por origem, mas por se socializarem na capital do império, tendo em Dom pedro II, o cosmopolita, a sua referência máxima. vivem de papel, como os insetos - serão uma praga? - e batem continência para Wall Street e para a City londrina. falam inglês quase sem sotaque. Caio Prado, celso Furtado e Ignâcio rangel são iguarias exóticas para o seu paladar refinado.
Nossos aprendizes de manuais produzem insaciavelmente papers com os ritos que Lévi-Strauss flagrou no Brasil do século XX."

Desabafo...

Vivemos numa sociedade de hipocrisias, onde cada pessoa aponta os erros e defeitos da outra.
Mas todos nós não erramos?
E a palavra que Cristo escreveu na terra: “atire a primeira pedra aqui quem nunca pecou”. E porque depois disso todos recuaram e desistiram de apedrejar a mulher acusada de adultério?
E as traições que cometemos dia-a-dia para conosco mesmos, vivemos conforme o que os outros designam para nós e conforme o que a sociedade diz que deve ser.
E os roubos que cometemos e as mentiras que dizemos a todo momento, somente para agradar aos outros, ou pior, pensando que estamos nos agradando?
A falta de ética por parte do ser humano é algo incrível, e ainda dizemo-nos civilizados e seres sociais. Será que o somos mesmo?
Vivemos na sociedade do quem ganha mais pode mais, e isso não diz respeito somente a dinheiro, mas também a status, posição social, detentores do conhecimento e da falsa esperteza, que é a de se dar bem em vista da ignorância do outro.
Quero ser livre das amarras dessa sociedade hipócrita, e desejo que não sofram mais os que conseguem enxergar as correntes e não vêem perspectivas lógicas para desvencilhar-se delas; e desejo que possam vir a enxergar, os que as tem como invisível, ou mesmo como parte da lógica do viver em sociedade.
Quero ser eu mesma, e não outrem, e que ninguém me diga o que tenho de fazer sem eu saber , ou sem me explicar o porque, e eu entrar em concordância com isso. E se eu fizer algo para agradar a alguém, que seja pela minha plena vontade, conscientemente!
Já li que a hipocrisia social é importante para manter-se o bom convívio em sociedade. Mas que sociedade é essa em que meias verdades são necessárias, e manter-se a “pose” apesar dos pesares é o que está “valendo”?
Precisamos dizer o que pensamos, propor mudanças, mudar o nosso próprio mundo, para que posteriormente, mudemos a nação.
A hipocrisia social esconde as nossas deficiências como ser humano, deficiências essas inerentes a nossa natureza. E como eu escrevi no início, todos cometemos erros, todos temos pecados.
Então, ao invés de esconder os nossos debaixo do tapete e acusar os outros, que tal fazermos uma “faxina interna”, uma auto análise e propor coisas novas, benefícios para si mesmo e para com a sociedade?

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

"O emprego"

Hoje estou passando para deixar a sugestão de um vídeo que considerei ótimo para uma reflexão profunda.


Cliquem no título "O emprego", e serão direcionados ao vídeo. O mesmo é auto explicativo, apesar de não possuir fala ou legenda.

Assistam, e questionem o modo de vida e produção do trabalho em nossa sociedade...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Importância da intervenção Estatal na Economia dos países

Como organizar-se e assegurar a sobrevivência da espécie humana na nossa casa comum: A Terra, garantindo ao maior número de pessoas acesso a recursos básicos que lhes possibilitem viver com dignidade?
A relação de Estado e Sociedade vem sendo construida com a história da própria humanidade, movida por conflitos, interesses, interações e sonhos.
Mas entendamos o que são Sociedade e Estado:

Sociedade: é uma entidade que surge da experiência da vida coletiva, possuindo características próprias e que transcendem aos indivíduos que a ela pertençam.
O Estado: surgiu da necessidade de se estabelecer um acordo entre indivíduos da sociedade com o objetivo de diminuir os conflitos existentes.

Com o advento da idade moderna, surge o Estado absolutista, que tinha como característica básica a centralização do poder político e administrativo, unificando:
- fronteiras;
- lingua;
- cultura;
- economia;
- e poderio militar.
Para institucionalizar o poder e as relações de Estado e Sociedade, surgiram as constituições escritas dos Estados-Nações, que são as Cartas Magnas que regem um país.

Já o liberalismo encarece os direitos naturais do homem, tolera o Estado como um mal necessário e exige, para prevenir eventuais abusos, a separação de poderes de forma definitiva em : "Espírito das Leis".

É uma tese que em si já se anula, pois se "devemos" ser libertos do Estado, porque então ele continuaria sendo um agente na sociedade, mesmo como um "mal necessário".

O Estado deve sim intervir na sociedade e na economia, e prover a população as condições para que as pessoas possam viver plenamente suas vidas.
Não falo aqui de assistencialismo, e sim de propiciar condições para que o povo possa ter trabalhos dignos e condições de saúde,educação e sustento.

Por isso,sim, sou a favor da Intervenção Estatal na economia!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Aula: 29/08/11

Hoje numa aula que dei acerca de valores pessoais - ética. Fiz uma dinâmica em grupo com os alunos questionando-os acerca dos princípios éticos e morais.

O que é ser ético socialmente? Todos nós agimos com ética?

A resposta unanime foi: "as pessoas não agem com ética, somente querem se dar bem passando por cima dos outros", e "ninguém age com ética".

Essas respostas foram a deixa para discutirmos as ações cidadãs na sociedade em que vivemos.

Onde fazer o certo parece não ser viável, porque demonstra humildade e, nas palavras de meus alunos, ser uma pessoa "chata".

Corrupção por parte dos políticos é anti-ético, é crime, mas e comprar um dvd ou cd pirateado, não o é? Colar numa prova na escola, também não?

São ações contra a cidadania também, dentre outras,como sonegar impostos, não honrar com as próprias dívidas, e etc.

É fácil "apontar o dedo" na direção dos governos e colocar a culpa da volência e de todos o problemas da sociedade. Mas e assumir os nossos próprios erros?

É preciso informação, é preciso elucidar a mente de quem nos rodeia.

Está sendo esse o nosso papel como educadores, ou também, como podemos ser chamados: disseminadores.

Disseminadores do que? De informação, da ética, da cidadania com um todo.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Retrato de uma sala de aula: 25/08/11

Trabalho numa escola, que além do curso que ministro - Gestão Empresarial - há cursos voltados para a área de informática. E hoje, um dos professores pediu para os alunos redigirem uma redação no word sobre o seguinte tema: "Educação no Brasil".
Ao final da aula, ele chamou-me para ler a redação de um de seus alunos. Fiquei pasmem com os erros de grafia, de concordância e falta de informação e coerência desse jovem sobre o ambiente em sua volta, no qual ele mesmo participa e interage.
Infelizmente nosso sistema educacional é muito deficiente, mas também muitos jovens vivem numa ignorância cultural sem precedentes, algo já herdado de sua família.
Abaixo, o texto completo para sua análise e conclusões acerca de nossa educação.

Mas pergunto: É esse o nosso futuro? Se sim, então o que será do nosso país?

"Educação no Brasil está péssimo, o governo não ta ligando para a nossas educação nos países por exemplo: ele só ta investindo para o brasil ficar mais bonito.
No entanto o Brasil está mudando muitas coisas está mais se preocupando com a obras dos lugares, e no desenvolvimento e precisa de uma boa aparência, está também investindo nos jogos olímpicos de 2016.
Na Educação do Brasil o professor não está querendo dar mais aulas por os aulas estar péssimos e ruim e não querer aprender mais do aprendizagem. Isso acaba prejudicando mais nos estudos das escolas.
Os professores estão reclamando dos pagamentos que são muitos poucos e eles acaba mudando de escola por um desses motivos também, é hoje em dia encontram se muitas crianças adolescentes analfabetos por não ter o estudo completo e por não aprender direito sobre as matérias que são explicadas e dadas durante as aulas.
E esses é um dos motivos dos jovens e das crianças que acontecem no Brasil pela educação de forma ao Brasil, é um dos motivos dos jovem e das crianças que acontecem no Brasil pela educação de forma ao Brasil;
O governo não está se relacionando com os problemas dado ao países e precisa melhorar muito
."

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Professores: mais que úteis, essenciais!



Acessem o link e leiam a notícia, que não somente me indigna, mas me motiva a preocupações quanto aos nossos políticos:

http://noticias.terra.com.br/educacao/noticias/0,,OI5290202-EI8266,00-Professores+sao+inuteis+e+nao+gostam+de+dar+aula+diz+vereador.html

É triste pessoas com essa mentalidade. Enquanto nosso país não colocar educação como prioridade para com a sociedade, não haverão mudanças contundentes, não haverão melhorias ao povo e a si próprio.

Nem todos obtêm senso crítico "no berço", é preciso pessoas que estimulem o aprendizado desde a criança até o adulto. O conhecimento abre mentes e modifica/salva vidas!

Pensamento social

"Que sejamos o melhor do que o ser humano possa ser para com o próximo. Essa deve ser a recompensa na Terra, e não a felicidade do mundo".

Hoje,a caminho do trabalho, estava eu no carro com o meu pai, ouvindo o noticiário da nossa região no rádio,quando noticiaram que o Governo Dilma não dará reajuste estipulado pelo Governo Lula no ano de 2010, para os aposentados, em 2012.

O reajuste seria acima das metas inflacionárias de cada ano, para os aposentados que recebam salário acima de um salário mínimo (hoje vigente em R$545,00), o que continuará sendo reajustado conforme as metas inflacionárias (já em legislação vigente).

Não explicou-se a motivação do "corte" no reajuste, mas há somente duas motivações:

- Falta de verbas públicas,porque esses pagamentos podem resultar em "desfalque" orçamentário;
- e,reajustamento dessa verba para investimento em outros setores, de maior necessidade.

Racionalizando acerca desse fato, cheguei a conclusão de que se for a primeira motivação, é hora de "colocar ordem na casa", que no caso é o Estado brasileiro, e para isso, é preciso reorganizar as verbas públicas, combater a corrupção e investir nas necessidades prioritárias ao povo (como saúde,educação,alimentação e saneamento).

Já se for a segunda motivação,é plausível investir-se no que trará benefícios, no que tange a mudanças de vida da população.
Isso é viver em sociedade, o que pra mim, são princípios socialistas, de fato.

Meu pai é aposentado, e recebe de salário aposentadoria mais do que um salário mínimo. Daí indagamos,eu e ele, seria bom ele obter esse reajuste? Sim seria. Mas mudaria a vida de nossa família? Não, não mudaria.

Agora algo como o Bolsa Família, onde R$100,00 mudam as expectativas de vida de toda uma família e quiçá a de toda uma região (como a região árida no sertão nordetino) e/ou reajustes no valor da aposentadoria de quem recebe um salário mínimo como benefício, o que vem a custear os gastos com medicação dos idosos beneficiários ou custos com assistência a sua saúde; Aí sim, isso seria fazer a diferença!

Sei que se bombardearão críticas a Presidente Dilma acerca dessa sua decisão, mas antes de entrarmos também nessa "onda", muitas vezes motivadas pela oposição partidária ao Governo,analisemos os fatos em si e os verdadeiros benefícios ou malefícios que possam surgir.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

The American Dream

Um filme que fala sobre o complexo e criticável sistema financeiro mundial (com foco no sistema Norte Americano)de uma maneira simplificada e por meio de animação?

Somente o "The American dream" filme consegue fazer isso, e prender a atenção do telespectador, mesmo que seja uma pessoa desentendida acerca de economia.

Mas provavelmente são essas pessoas o público alvo do filme, porque são esses que devem ser esclarecidos quanto as "amarras" que o sistema Capitalista nos coloca, e nos mantêm distantes de realmente sermos livres.

Nossas escolhas são pautadas no dinheiro, pois se não o forem, estamos fora do "jogo", vivendo à margem do sistema.

Somos ensinados a crêr que temos algum tipo de poder em mãos; e é justamente aí, que somos dominados, principalmente pelo consumismo.

Créditos e financiamentos facilitados, enchem os nossos olhos; mas utilizando dos "produtos" bancários, somente alimentamos cada vez mais os seus já altos lucros e o seu poder de dominação e influência no mundo.

Eu aconselho a todos assistir esse filme, e se libertar da ignorância almejada por "eles".

terça-feira, 28 de junho de 2011

Mas que seja juventude

"Ainda acredito nas flores vencendo canhões.
Ainda acredito no amor como caminho de paz.
Ainda acredito na vida, mesmo em meio a esse mundo.
Ainda acredito, já sem utopias, no poder de
transformação das palavras.
Ainda acredito no Brasil, mesmo em meio a falta de
oportunidades ao povo.
Ainda acredito na luta diária, na educação,
nos bons principios.
Ainda acredito nos meus sonhos de menina,
mesmo desacreditados por outrem.
Ainda acredito que é na descrença em si,
que encontramos as respostas e forças
para seguir em frente.
Ainda acredito,
talvez por juventude.
Mas que seja juventude da minha alma."

Ainda acredito nas flores vencendo canhões...

Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Nas escolas nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantando e seguindo a canção

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Pelos campos há fome em grandes plantações
Pelas ruas marchando indecisos cordões
Ainda fazem da flor seu mais forte refrão
E acreditam nas flores vencendo o canhão

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Há soldados armados, amados ou não
Quase todos perdidos de armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição
De morrer pela pátria ou viver sem razão

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Somos todos soldados, armados ou não
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo e ensinando uma nova lição

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

http://www.oecoamazonia.com/

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Educação e rompimentos paradigmais

Somente por meio da educação há capacidade para mudar o mundo!

Essa afirmação deve nortear os projetos de investimento das nações que buscam o desenvolvimento - não somente o desenvolvimento econômico - mas principalmente o humano.
Todo fator propulsor de mudanças, surge por um movimento de pensamentos e consciência crítica - que é aquela que faz o ser humano questionar antigos paradigmas e propor mudanças sociais.
Para construir-se cidadãos pensantes, críticos, é preciso que sejam instruídos, informados e estimulados ao raciocínio coletivo, social; isso se dando por influências culturais, ambientais e comportamentais pela sociedade em que se vive.
Mas como constituir cidadania se advém da sociedade influências muitas vezes negativas, de estímulo a concorrência sem escrúpulos, mentes automatizadas, analfabetismo funcional e profissionalização com o único intuito de suprir a uma vaga de emprego?

Somente por meio da educação: de qualidade, com propósitos, com comprometimento e confiante no seu poder de transformação social.

É por crer nisso que sou professora, ou melhor dizendo:

"Pró-fé-sou!"

segunda-feira, 9 de maio de 2011

E quem são os heróis?

Muito se está dizendo acerca da possível morte de Bin Laden pelos EUA. Muitos questionamentos quanto a veracidade dessa morte, e se é fato,como conseguiu-se chegar ao "alvo", se essa procura vinha se arrastando há 10 anos.
Para mim,a grande questão para se refletir é em relação a banalização dos assassinatos na sociedade mundial.
"Os fins justificam os meios" parecem ser a melhor desculpa para cometer-se um homicidio. Onde iremos parar com isso?
Bin Laden assassina em massa Norte Americanos (contra o Imperialismo dos EUA), EUA declaram "Guerra ao terror" contra o Afeganistão (contra o extremismo islâmico) e matam milhares de civis, EUA encontram Bin Laden e o matam (novamente contra o terrorismo). EUA são os heróis do mundo!

Será?

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Indicações

Para quem se interessa por questões ambientais e de sustentabilidade,seguem minhas sugestões de conteúdo pertinente:

- Vídeo: "Oceano de lixo" (lixão do pacífico)
Mostrando a realidade de distruição da vida aquática nesse oceano,via poluição por lixo não degradável,como as sacolas plásticas de supermercados; vale a pena assistir e refletir sobre o assunto.

- Livro: "Os limites do crescimento"
Abordando a limitação de expansão de produção e consumo capitalista frente aos problemas ambientais que mais cedo ou mais tarde nos afetarão e já afetam diretamente e gravemente. É considerada a "biblia' dos ambientalistas.

- Site: www.fbs.org.br
Tem conteúdo completo e detalhado acerca de como funciona e os resultados das operações de crédito de carbono, e aborda sua polêmica também.(E para quem não sabe a que se refere créditos de carbono, tem explicações de fácil entendimento).

Não deixem de conferir,
o conteúdo é muito bom!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

E Chaplin nos ensina...


Preparando aula introdutória acerca de legislação trabalhista,queria apresentar os conceitos de maneira diferenciada aos alunos, foi quando me veio a mente Charles Chaplin e o seu clássico "Tempos Modernos".
O cinema mudo me fascina,creio que justamente pela ausência de palavras,onde as atitudes,os cenários,as expressões faciais,dizem muito além.
Propus o filme para a turma e debatemos as condições de trabalho desde a revolução industrial,daí entrei no tema da aula,a importância de regulação das relações de trabalho.
Porque muito mais do que decorar uma informação,é entender porque ela tem de ser disseminada e discutida.
É preciso produzir senso crítico nas pessoas.
Esse é o papel de um educador.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Aula de hoje - 2

Hoje com a turma de Gestão empresarial,trabalhamos no módulo de Marketing Pessoal o conceito de "Branding", ferramenta de pesquisa de situações de sucesso em que possamos espelhar a própria carreira.

Trabalhamos características essenciais a um bom profissional,como: ética,bons modos,postura,aparência agradável,boa comunicação e diferencial competitivo.

Sendo esse último o mais dificil de ser trabalhado,já que o mercado é competitivo e acirrado.

Mas diferente do que nos faz imaginar,creio na competição pelo diferencial de principios e não da disputa desleal,a qualquer preço - principios dignos,ética,moral e ideais coerentes para si próprio.

Trabalhamos como exemplo o filme "O diabo veste Prada",que apesar de ser um filme que aborda em grande medida o mundo da moda,trata muito bem na exemplificação,como funciona os ambientes corporativos. O que realmente devo fazer para me destacar? Como não me corromper para me dar bem? Afinal,o que é sucesso de fato?

O filme conta a história de resistência,conflitos e ascenção no emprego por parte de Andrea,sua ligação profissional nada comum ou satisfatória com sua chefe, a temida redatora-chefe da revista de moda "Runaways" Miranda,os conflitos em sua vida pessoal,em decorrência desse novo emprego, e os seus verdadeiros ideais de trabalho.

Quem ainda não teve a oportunidade ou o interesse de assistir,o faça,e extraia a boa mensagem que o filme dá a nossa vida profissional.

Aulas de hoje - 1

Hoje tivemos uma aula diferente com as turmas do ensino fundamental II, na disciplina de geografia.

Apliquei exercícios acerca de fuso horário,longitude,latitude e rosa dos ventos.

Até mesmo pelo clima frio,propus que fossemos discutir o conteúdo ao ar livre,sob o sol da manhã gelada.

Os alunos terminaram de responder as questões e visualizamos no local em que estávamos,os sentidos norte,sul,leste e oeste e visualizamos,pela movimentação das nuvens,em qual sentido a Terra realiza o seu movimento de rotação e os sentidos em que estamos inseridos no planeta.

Creio que os alunos gostaram da ideia de uma aula alternativa,e que obtiveram um aprendizado válido!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Taxa de juros e inflação

Manchete: "Trajetória de alta de juros continuará", diz ata do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco central) de 20/04/11.

Mas por qual razão isso se dá em nossa economia?
Para entender o porque dessa minha pergunta,e para que você formule sua própria resposta,remetamos a duas teorias econômicas, acerca de inflação.

Monetarismo - (Política da moeda)Política adotada pelo governo brasileiro desde o Governo Fernando Henrique Cardoso e a instituição do Real em 1.994. Trata-se de uma política de combate a inflação por meio de manipulação da taxa de juros básica total, que no Brasil é a SELIC.Essa teoria ortodoxa alega que a inflação (aumento dos preços - principalmente das commodities) deve-se a demanda ser maior do que a oferta de bens, o que obriga o produtor/vendedor a aumentar seus preços de repasse.
Não leva em consideração outras variáveis,como especulação financeira por parte dos que poupam (os mais abastados financeiramente)e a flexibilidade de pagamento de produtos (ou seja,parcelamentos e financiamentos) aos mais pobres. O que resulta de outra maneira em aumento do consumo.

CEPAL - (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe) Essa comissão constituiu-se para o estudo das economias de paises subdesenvolvidos (ou como usualmente se diz "paises em desenvolvimento").Ela apregoa que é preciso avaliar as estruturas de cada país e reconhecer nas diferenças como se constroem os mecanismos inflacionários,sem dar margens a simplificações,afinal,o que funciona em paises europeus ou nos EUA,pode não funcionar no Brasil. A nossa inflação não surge somente de desequilibros em oferta e demanda de bens na economia,somos um país com muitos problemas sociais, e aumentos nas taxas de juros,retraem nosso poder de investimento no país,e daí compromete a qualidade de vida da população e aumenta a especulação financeira.

Exposto isso,fica um alerta em relação ao que obtemos de informação nas mídias e a como essas informações são nos dada,porque infelizmente o PIG* por aí está.

E deixo a minha pergunta inicial à vocês.Tirem suas conclusões...

*PIG - Partido da Imprensa Golpista (leia mais em www.conversaafiada.com.br)

terça-feira, 19 de abril de 2011

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Para alguém especial

"Sabe como é encontrar alguém especial

sem procurar?

Perceber que bastam alguns momentos

para se apaixonar?

E para que uma pessoa,

importante para sí se tornar?

Se não sabes,toque meu coração,

e tú entenderás.

Não há explicação para o que no momento

Deus nos faz.,

mas você é o presente mais singelo

e importante que eu já

vim a ganhar.

--

Com você,sorrisos só vem a brotar

em meus lábios,

e se há lágrimas em meus olhos,

são somente para clarificá-los

para que você possa

minha alma vir a enxergar,

para testemunhar minha felicidade,

por ter você em minha vida.

--

Te amo,e não tem jeito,

de tentar isso negar,

muitas vezes já lhe disse isso,

e muito ainda irei lhe falar.

E que nosso amor seja pra sempre,

enquanto durar,

e que bom, se for por toda a vida.

---

Te adoro querido,

e para o que eu sinto,

já não tem mais saída.

Espero ter me expresso

em certa medida,

nesta humilde poesia."

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Reflexões de uma segunda-feira

E a igualdade social é um sonho,tipo um conto de fadas.E nisso eu já deixei de acreditar há algum tempo.
É esse o meu medo,tornar-me incrédula quanto as possibilidades,mesmo que remotas.Render-me ao conformismo...se bem que não faz parte da minha essência,ao contrário,sofro demais ao adaptar-me.
Ma enquanto puder expressar minhas idéias,elevar minhas convicções e lutar por meus ideais,serei sempre eu mesma,e não outra...

terça-feira, 22 de março de 2011

AMAZÔNIA,
AME A AMAZÔNIA.
AMAZÔNIA,
AME A AMAZÔNIA.
AMAZÔNIA,
AMEAAMAZÔNIA.
AMAZÔNIA,
AMEAMAZÔNIA.
AMAZÔNIAMEAMAZÔNIA.
AME!

segunda-feira, 14 de março de 2011

E a laranja virou suco.A simplicidade deu lugar à praticidade. E o resultado: Ode ao passado e temerancia quanto ao futuro.
No presente fazemos do limão uma limonada a cada dia.Temos de ter um quê de alquimista pra sobreviver ao mundo "globalizado", ao trabalho capitalista que consome mais de 70% de nossas vidas.
Mas é isso aí,há de se viver (melhor do que morrer!)Há de se dizer que é como a resposta das crianças naquela música: "É a vida,e é bonita,é bonita,e é bonita!"

domingo, 13 de março de 2011

Condolências ao povo Japonês

É a maior crise vivida pelo povo da região,desde a segunda Guerra Mundial.Houve explosão de reatores de uma usina radioativa,expondo o povo a riscos sem precedentes,algumas pessoas já apresentando sinais de contaminação.
Há ameaças de ataque nuclear,algo que pode ser terrível a todos.Tudo isso causado por grandiosos tsunamis,ocorridos nos últimos dias,devido a terremotos de alta escala.

Mas o que significa essa demonstração devastadora da natureza?

É o Planeta pedindo "help" ao homem,que consequentemente pede "help" ao Planeta.

Tanto desenvolvimento tecnológico,poluição fora de medidas...Um dia, tudo se volta contra nós.

Mas que o povo Japonês consiga superar as perdas,que não ocorra mais desastres,que consigam se reerguer,e que o econômico não venha à frente do humano,que é quem sofre com a ganancia capitalista.

Pessoal de todo o mundo,unamos-nos para ajudar esse povo!
que Deus seja por eles e por nós!
Amém!

sexta-feira, 11 de março de 2011

Homenagem ao dia internacional da Mulher

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombetas,anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.

Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim,ora não,creio em parto sem dor.

Mas o que sinto escrevo.Cumpro a sina.
Inauguro linhagens,fundo reinos
- dor não é amargura.

Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
mulher é desdobrável.Eu sou.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Carnaval - Festa popular tradicional?

O que significa uma festa popular para um povo?Qual o sentido de toda uma tradição?Ou melhor no que consiste uma tradição,o que é chamado de culto pelos intelectuais ou o que é apreciado pela "massa"?
O carnaval no Brasil é um evento de grande extensão e proporção,enraizado na cultura do país.
É um grande atrativo ao turismo exterior e movimenta todo o povo,aquece muitas vertentes do comércio, isso é inegável.
Mas o quanto o poder público deve envolver-se nesse tipo de festejo popular?Efetuar investimentos,praticamente decretar feriados (em quase todo o país,principalmente na região nordeste).E o que foge ao comércio e turismo,como fica economicamente um país parado por uma semana todo ano,além de em todos os outros feriados?
É um movimento as raízes do encontro das raças que compõem nosso país,do ir contra a todos os tipos de preconceitos de raça,opção sexual,ou seja lá qual houver?Se sim,é totalmente válido ao sócio-cultural de nossa nação.
Mas se for um movimento à paixão por uma comemoração festiva puramente musical,de libertinagem sexual,entorpecente e alcoólica,por puro prazer e divertimento,sem sentido simbólico contextual,somente para engrossar os saldos bancários das indústrias de bebidas,então,foge a uma festa de sentido tradicional e popular verdadeiro.
Sendo que o tradicional e cultural é importantissimo à uma nação,para resgatar suas raízes,suas origens e preservar sua história.
Portanto,será que o nosso carnaval da atualidade se propõe a tanto?

sexta-feira, 4 de março de 2011

Cordel: Big Brother Brasil – Um programa Imbecil!

Autor: Antonio Barreto, natural de Santa Bárbara-BA, residente em Salvador.
Além de cordelista, é poeta e professor.
Graduado em Letras e Pós-graduado em Psicopedagogia e Literatura Brasileira.

Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.

Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.

Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.

Em frente à televisão
Lá está toda a família
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’..

Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.

O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.

Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.

Um país como Brasil
Carente de educação
Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.

Respeite, Pedro Bial
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Da muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.

Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social
Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério – não banal.

Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.

A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os “heróis” protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas.

Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.

Talvez haja objetivo
“professor”, Pedro Bial
O que vocês tão querendo
É injetar o banal
Deseducando o Brasil
Nesse Big Brother vil
De lavagem cerebral.

Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude..

É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos “belos” na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.

Se a intenção da Globo
É de nos “emburrecer”
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.

A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.

E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não deem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.

E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.

E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados
Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.

A loja do BBB
Vendendo só porcaria
Enganando muita gente
Que logo se contagia
Com tanta futilidade
Um mar de vulgaridade
Que nunca terá valia.

Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.

Cadê a cidadania
Dos nossos educadores
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?

Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal…
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, boçal…

FIM

Salvador, 16 de janeiro de 2010.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Novo salário mínimo

E mais uma vez é o povo quem perde.
Os alimentos inflacionam (tome por exemplo os preços da carne bovina brasileira)e o poder de compra real do povo só diminui.
O que significa então esse aumento de R$5,00 no salário mínimo do trabalhador(que passa de R$540,00 para R$545,00)?
Nenhuma mudança significativa,como dei o exemplo da carne,não dá nem para comprar 1kg de carne de "segunda".Não custeia gastos com remédios e nem melhora a alimentação básica de ninguém (não dá para comprar o arroz e feijão de cada dia).
Lembrando que o salário mínimo por constituição deve prover o bem estar e as condições mínimas de subsistência a uma família.
Realmente,eu não esperava um aumento significativo nesse inicio do governo Dilma,mas o que me irrita profundamente é o modo como nossos dignissimos deputados fizeram alardes com esse assunto.Sendo que quando trata-se de aumento salarial para eles,tudo o proposto parece muito pouco.E quando trata-se do povo,é uma dificuldade para se aprovar mísseros R$5,00!
Infelizmente temos de considerar esse aumento como uma vitória do Governo diante da realidade do Congresso Nacional brasileiro.
Mas se tratando do povo,temos de considerar mais uma vez,como uma derrota.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Afinal, o que é o amor?

Quando se vive,é mais do
que humano;
quando se sente,é pura
poesia e canto.
O amor romântico
pode ser sofrível,
se correspondido não for;
mas é um sentimento
inerente à vida,
sem ele não existe
calor,
não se vive seu ardor.

O amor fraterno
é o que ainda dá
sabor doce ao
universo,
hoje tão perverso;
Tem o poder
transformador,
pode curar
qualquer dor;
mas também
traz saudades,inseguranças
e desabor,
porque é um sentimento
tão forte
que muitas vezes não
cabe em si,
enfim o amor é algo
que não tme explicação,
simplesmente é assim...

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Meus desejos

Estou inconformada,como é difícil uma mulher ter uma vida legal,ser amada,amar intensamente,sem medo de conseguir ou não constituir sua família,ter sua própria vida,sem parecer masculinizada,conseguir casar-se com um homem bom,romântico,amigo,fiel.
Ganhar dinheiro,tendo uma carreira sólida,ser reconhecida,de renome,obter glórias e conquistas pelo reconhecimento de seu esforço.
Não quero que nós mulheres sejamos vistas como mero brinquedo,como objeto nas mãos de um homem;temos direito e o dever de ser felizes.De que homens maravilhosos tenham sentimentos por nós, que haja conosco na verdade,com amor,por uma vida inteira juntos.
Precisamos de nosso lugar no mundo.Porque ao que me parece,ainda está escondido de nossos olhos,de nosso pleno merecimento,de nossos corações.
Quero que possamos fazer planos e realizá-los,de ver a luz ao final do túnel,de enxergar o horizonte.De não ter vergonha de sonhar com contos de fadas,porque isso não nos torna levianas ou fúteis,somente mulheres de verdade.
Desejo que todas as mulheres do mundo sejam felizes,que não sofram mais,que sejam fortes,amparadas,amadas.Que os caras liguem quando o prometem,que mandem flores,chocolates,lhes escrevam poemas e lhes tratem devidamente.
Desejo que todas obtenham sucesso no que escolherem fazer de suas vidas.Mas também,quem assim vive,não precise mais vender o corpo para sobreviver,e nem se deixar vender pelo motivo que for.
Que todas nós não fujamos de nossa natureza.Deus nos fez belas,pelo simples (na verdade não tão simplers assim)fato de ter nos feitos mulheres.Que é aquela que gera a vida, aquela que aguenta dores insuportáveis aos homens.
Espero aprender sempre mais e mais,com a vida,com as pessoas,com meus erros,meus acertos,com as pessoas que amo,com as que me fazem sofrer,com os homens,com os livros e a partir das emoções.Principalmente com as não tão positivas,que são as que exatamente me motivam a escrever,explanar,pensar,duvidar - e a partir daí,ter sonhos,esperanças - e assim viver.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Mais um pouco de poesia...

Essa é uma homenagem a minha sobrinha Lívia,que completou 1 ano no domingo último:


Nosso brilho

Você pode não ser
uma estrela,
mas nasceu a
brilhar.
tem os olhos mais
vivos que já vimos,
é uma mescla
de energia e
doçura no ar.

Tão pequena,
mas grandes
transformações
foi capaz
de fazer.
Tú existes a
somente 1
ano,
mas é como
se a vida
inteira
esperassemos
por você.

Só desejamos
que tú sempre
sejas feliz,
ah,como nos
alegra o seu
sorrir.
Você é o maior
presente de Deus,
nossa menina.
que o seu
cmainho seja
de conquistas,
pequena Lívia.

Você pode não ser
uma estrela,
mas nasceu a
brilhar.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Sociedade doente

Estava eu hoje no quintal de casa com minha sobrinha,olhando o movimento da rua.
Onde moro,infelizmente,o tráfico de drogas tomou conta,e propaga-se de uma maneira tão evidente e desavergonhada,que ainda me assusta ver.
Descia um caminhão com dois rapazes,pararam na primeira esquina,onde havia meia dúzia de garotos que encarregam-se do comércio local de entorpecentes.
Qualquer pessoa que por ali passava,observava o que ocorria,mas os envolvidos na transação pouco importavam-se com os mais curiosos.
Infelizmente, esse tipo de cena não é um privilégio só meu,mas de praticamente todo o país.É uma doença, que está matando nossa sociedade.As pessoas refugiam-se de seus problemas em bebidas alcoólicas e drogas,para obter um "alívio" momentâneo em suas vidas, o que depois mostra-se o contrário,o acarretamento de um problema muito maior ao indivíduo.
O pior, é que os não envolvidos também pagam por essa sociedade doente,sejam os familiares dos dependentes ou os demais cidadãos,já que o tráfico está intimamente ligado a violência urbana.
E por falar em violência urbana,ontem eu ouvia uma entrevista na rádio CBN Campinas,com um médico cujo nome não recordo no momento,que discorria o assunto da obesidade no Brasil,onde quase mais da metade da população é considerada obesa (ou seja,acima do peso considerado saudável).Ele foi perguntado sobre o que está levando a sociedade a essa doença crônica; ele respondeu que vai-se muito além da questão nutricional da população.O povo tem tornado-se sedentário:em parte devido aos trabalhos urbanos (principalmente os de cunho administrativo)e as facilidades tecnológicas e de alimentação;mas que também, grande parcela da "culpa" recaí sobre a violência urbana.As pessoas não podem mais sair as ruas para caminhar,dar passeios em seu bairro ou permitir que seus filhos brinquem nas ruas,porque o medo impera,o tráfico e a bandidagem comandam nossos espaços.
E daí,volto no inicio do texto.Minha sobrinha tem somente 1 ano de idade,se continuarmos a residir no mesmo local,provavelmente ela nunca brincará na rua,como eu e meus irmãos faziamos,viveremos com medo por ela.
São os nossos pequenos que já nascem nessa sociedade doente,e doentes sociais,assim como nós,provavelmente também serão.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Vitória do povo

Finalmente,após 19 dias de manifestações do povo egipcio,hoje a população obteve vitória democrática junto a ditadura de Mubarak, que perdurava no país a mais de 30 anos.
É uma prova prática de que a voz do povo unido é mais forte do que qualquer poder instaurado no mundo,mas isso só pode ocorrer se as pessoas tiverem consciência de que as mudanças são necessárias e de que qualquer luta a favor da maioria vale a pena.
O povo não pode deixar-se enganar ou se contentar com a corrupção e a falta de liberdade e direitos,nem crer que a má administração pública é apenas culpa dos políticos;é nosso dever como cidadão exigir democracia de fato,cobrar respostas concretas de nossos governantes,ou até mesmo,no caso do Egito,depô-lo mesmo que na base da perseverância.
Logicamente,esse é apenas o início da transição pela qual o país passa,ainda há muito a ser feito,muito a ser restaurado,principalmente em sua economia (que durante tantos anos sofreu "arombos" sem precedentes);mas o fato de hoje já é um motivo de comemoração,e isso no mundo inteiro.
É o mundo oriental se modernizando, e de algum modo,dando exemplos ao mundo ocidental,muitas vezes tão demagogo e pouco prático no que se refere a democracia.
O que espero e desejo,é que outros paises do Oriente Médio (principalmente a Arábia Saudita) sigam o exemplo do Egito e vençam!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O ser humano vê,ouve,cheira,toca,
enfim,tem diversos sentidos à experimentar.
Mas me indago se todos sentimos da mesma maneira.
Quero dizer,todos enxergamos as mesmas cores
mas cada um tem uma maneira de ver o mundo.
Todos sentimos os sabores,
mas cada um tem uma preferência específica,
seja doce,salgado,amargo,azedo.
Todos sentimos os aromas,
mas apenas uns perfumes nos atraem.
Todos convivemos em sociedade,
mas cada um de nós porta-se
de uma maneira.
Tem suas opiniões,partidarismos
e modo ético e moral,
conforme seu estilo de vida,educação
e tudo o mais.
Cada pessoa é única,
e isso nos faz diferentes uns dos outros.
E daí, o respeito nas diferenças,
crenças e opiniões é necessário.
Pois cada um tem uma maneira de ver
e viver a vida.E a grande graça de tudo
está justamente nisso.
Pois imagine um mundo sem debates,
reflexões e aprendizados?
Mas o mundo deve viver sem preconceitos,
discriminações e violência.

"Conclusões de Aninha"

Estavam ali parados.Marido e mulher.
Esperavam o carro. E foi que veio aquela roça
tímida,humilde,sofrida.
Contou que o fogo,lá longe,tinha queimado seu rancho,
e tudo que tinha dentro.
Estava ali no comércio pedindo um auxílio para levantar
novo rancho e comprar suas pobrezinhas.

O homem ouviu. Abriu a carteira tirou uma cédula,
entregou sem palavra.
A mulher ouviu. Perguntou,indagou,especulou,aconselhou,
se comoveu e disse que Nossa Senhora havia de ajudar.
E não abriu a bolsa.
Qual dos dois ajudou mais?

Donde se infere que o homem ajuda sem participar
e a mulher participa sem ajudar.

Da mesma forma aquela sentença:
"A quem te pedir peixe,dá uma vara de pescar".
Pensando bem,não só a vara de pescar,também a linhada,
o anzol,a chumbada,a isca,apontar um poço piscoso
e ensinar a paciência do pescador.
Você faria isso leitor?
Antes que tudo isto se fizesse
o desvalido não morreria de fome?
Conclusão:
Na prática,a teoria é outra.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Reflexão do dia...

Quem ensina o que sabe e aprende com quem ensina, vive uma vida plena!
Quem sou eu para deter todo o conhecimento comigo?
Quem sou eu para crêr que nada mais tenho a aprender?
Quem abre a mente e o coração à vida,colherá o inimaginável aos reclusos,
viverá o impensável aos fracos,
e adquirirá a sabedoria que poucos conquistam durante a vida,
mesmo aos mais vividos em tempo.
Não deve haver pretensões quanto a isso,de ser o mais sabedor de todos,
mas deve haver sonhos a serem sonhados sempre,
pensamentos a serem divagados e postos em prática em favor da gente.
Amor,caridade e doação,
são as palavras de ação.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Preconceito e discriminação

Muito se fala de igualdade,de direitos e respeito ao diferente.Mas será mesmo que colocamos isso em prática?
Essa deveria ser uma discussão nem em voga em nosso país,já que vivemos num lugar de tantas misturas e diversidades étnicas.Mas infelizmente essa é uma discussão relevante.O preconceito ainda é muito forte,e como em qualquer discriminação,independe de um porque relevante (se é que há algo que justifique tais atitudes).
Hoje discutia com uma amiga a questão de discriminação regional.A mesma é nordestina,assim como minha família materna.Essa minha amiga me disse que em diversos momentos sofreu preconceito em decorrência de seu sotaque carregado,por concluirem que o mesmo soa "feio" aos ouvidos...
Eu por muitas vezes,por me dizer filha de nordestina,e me declarar de sangue nordestino sim,apesar de ser paulista,deparei-me com olhares espantados de pessoas,que ainda chegavam a comentar,"nossa,mas apesar disso,você é tão intelectual".Pasmem!Como se nascer numa região específica de um pais e herdar um sotaque caracteristico tivesse relação com capacidade mental e intelectual.
E em relação aos negros,a maioria se diz sem preconceitos contra eles,mas se vê um negro rico,"nossa,como ele conseguiu?";ou se faz algo de errado,"ah,só poderia ser negro mesmo".Como se a cor da pele fosse uma limitação à ascensão social,ou um legado ao fracasso e marginalidade.
Em religião,ocorre o mesmo,como se a minha verdade individual fosse necessariamente a verdade absoluta do mundo.Muitas vezes quem expõe a sua doutrina é achincalhado e recebe deboche como resposta de outros,e também há os que querem impor sua doutrina, o que considero até pior.
Viver num país de liberdades reais,significa respeitar o outro,mesmo que ele não seja do jeito que gosto,mesmo que eu não o aceite,porque isso não importa, o que importa é estar disposto a ajudar a quem precisa e dar-se conta de que o valor de cada um independe de cor de pele,raça,etnia,sexo ou status social.O que importa,é que enquanto há vida, o ser humano deve ser preservado e ser levado em conta em primeiro lugar.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

E aí,como você está cuidando de si mesmo? E dos outros? O que tem feito em favor de uma sociedade melhor? Ou então, o que tem feito em favor das pessoas que estão ao seu redor? Família,amigos,colegas de trabalho,irmãos de igreja (caso você pratique alguma religião)?Vizinhos, você ao menos conhece ou conversa com os seus, ou os considera meros divisores de espaço na sua localidade?
Que tipo de vida vivemos? Consumista,materialista,fria,calculista,e ambicionista? Ou de pleno amor,respeito ao próximo,cidadania e empatia?
É um mundo de relacões interpessoais,de comunicação e troca de idéias? Ou de virtualização e robotização dos pensamentos e sentimentos?

E aí,quais são as suas respostas? Quais as suas conclusões acerca delas?

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Notícia do dia! 17/01/11

Em carta a Dilma, Irã anuncia
que desistiu de enforcar Sakineh
Presidente criticou a postura do país asiático em relação a direitos humanos
O Irã suspendeu a pena de enforcamento contra Sakineh Mohammadi Ashtiani, uma acusada de adultério e homicídio cujo caso provocou uma mobilização global, disse uma deputada iraniana, segundo relato divulgado nesta segunda-feira (17).


Sakineh foi inicialmente condenada a apedrejamento pelo crime de adultério, mas a sentença foi suspensa devido à repercussão internacional - no entanto, ainda não anulada. Ela continuava sob ameaça de morte por enforcamento, por ter sido considerada cúmplice no assassinato do marido.

Em carta à presidente brasileira, Dilma Rousseff, a deputada Zohre Elahian, presidente da Comissão de Direitos Humanos do Parlamento do Irã, disse que a pena de enforcamento também foi suspensa, devido a apelos dos filhos de Sakineh.

- Embora a sentença de apedrejamento não tenha sido finalizada ainda, a sentença de enforcamento foi suspensa devido ao perdão [dos filhos dela].

Sakineh foi condenada a dez anos de prisão. Ela foi presa em 2006.

Em julho do ano passado, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva ofereceu asilo a Sakineh no Brasil. O governo do Irã rejeitou a oferta, elogiando o "caráter humano e sensível" de Lula, mas alegando que ele não estava de posse de todos os fatos.

O Brasil tem boas relações com o Irã, e no ano passado tentou mediar um acordo nuclear, rejeitado por potências ocidentais.

Pela lei islâmica em vigor no Irã, o adultério pode ser punido com a morte por apedrejamento, enquanto crimes como homicídio, estupro, assalto, apostasia e narcotráfico resultam em enforcamento.

O caso de Sakineh abalou ainda mais as relações entre o Irã e o Ocidente, já prejudicadas por causa do programa nuclear iraniano, que os EUA e seus aliados temem estar voltados para o desenvolvimento de armas nucleares. Teerã insiste no caráter pacífico das suas atividades.

A Anistia Internacional diz que o Irã é o segundo país que mais usa a pena de morte no mundo, atrás apenas da China. Em 2008, pelo menos 346 réus foram executados.

As autoridades iranianas rejeitam as acusações de abusos aos direitos humanos, e alegam estar seguindo a lei islâmica.
Tenho de ser o melhor dos seres humanos,ao ponto de entristecer-me quando um povo sofre, e ao ponto de alegrar-me quando eles obtêm conquistas.

sábado, 15 de janeiro de 2011

Pablo Neruda - "Não há perdão"

Hoje li uma belíssima poesia de Pablo Neruda (maior poeta Chileno,de vertente marxista) e não posso deixar de colocar aqui,texto de 1950 (do livro "Canto geral")que permanece com uma mensagem tão atual:

"Eu quero terra,fogo,pão,açúcar,farinha,
mar,livros,pátria para todos,por isso
ando errante: os juízes do traidor me perseguem
e seus aduladores tratam,como os micos
amestrados,de encharcar minha lembrança.
Fui eu com ele,com esse que preside,à boca
da mina,ao deserto da aurora esquecida,
eu fui com ele e disse a meus pobres irmãos:
Não guardareis os fios da roupa esfarrapada,
não tereis este dia sem pão,sereis tratados
como se fôsseis filhos da pátria.Agora
vamos repartir a beleza,e os olhos
das mulheres não chorarão por seus filhos.
E quando em vez de amor repartido,na noite
à fome e ao martírio lançaram a esse mesmo,
a esse que o escutou,a esse que sua força
e sua ternura de árvore poderosa entregara,
então eu não estive com o pequeno sátrapa,
mas com aquele homem sem nome,com meu
povo.
Eu quero a minha pátria para os meus,quero
a luz igual sobre a cabeleira
de minha pátria acesa,
quero o amor do dia e do arado,
quero apagar a linha que com ódio
fazem para apartar o pão do povo,
e ao que desviou a linha da pátria
até entregá-la como carcereiro,
atada, aos que pagam para feri-la,
eu não vou cantá-la nem calá-lo,
vou deixar seu número e seu nome
cravado na parede da desonra".

Sensibilidade e empatia já,meu povo!

Como é dificil colocar-me no lugar do outro,de entender suas titudes e compartilhar de seus sentimentos;não pela minha ótica,mas como se eu estivesse no lugar da outra pessoa.
Na verdade,o dificil é estar disposto a questionamentos e reflexões,pois quando exerço a empatia (que é o ato de colocar-me no lugar do outro) eu entendo o outro como ser humano,e me sensibilizo diante do seu "eu".E é justamente aí em que as barreiras apresentam-se;quando sensibilizo-me com o outro,tenho de transpor meus preconceitos,minhas idéias feitas e as minhas "verdades" absolutas,pois somente assim não caio em julgamentos - o pior defeito do ser humano.
Mas afinal,porque tneho de me sensibilizar com o outro,me preocupar com o seu sofirmento,com suas dúvidas,se tneho a minha vida para cuidar?Se tenho meus problemas para solucionar?
Porque somente asism poderemos construir um mundo melhor,tão almejado por todos´,porém na tentativa de edificação por tão poucos.Vivemos num mundo egoísta,materialista,segregado e corruptível.As desiguladades existem, e está enraizado em nós culturalmente,que melhorias só podem ser conquistadas individualmente e por méritos materiais ou que preocpuações sociais somente devem advir dos governos;esquecemos que a força coletiva é que conquista as mudanças necessárias, isso é processo histórico, e é como diz uma belíssima canção de John Lennon que traduzo aqui: "Sonho que se sonha só,é só um sonho que se sonha só,mas sonho que se sonha junto,é realidade..."
É fácil julgar ações de drogados,traficantes,prostitutas,julgar as condições dos sem instrução,dos favelados;mas e procurar saber o que vem por detrás dessas realidades, o que faz dessas pessoas serem o que são?Será que para combater os males da nossa sociedade não precisamos entrar nesses questionamentos?
Sensibilidade e empatia já,meu povo!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Sustentabilidade ambiental.Nós podemos!


Quando cursava o ensino médio numa escola técnica do munícipio onde moro,optei por cursar conjuntamente,um curso de nível técnico;como sempre interessei-me por meio ambiente,inscrevi-me no curso de técnico em saneamento,profissão pouco em voga,mas muito interessante e nobre.Durante o curso,apaixonei-me pelo estudo da biodiversidade de nosso país,e muito entristeceu-me conhecer mais a fundo a degradação a que o homem tem sujeitado a natureza.
Foi um período muito bom,fiz estágios que foram experiências únicas ao conhecimento ambiental que hoje possuo,mas infelizmente auqi na região não consegui mercado para atuar nessa profissão;por isso decidi-me a fazer graduação em outra área,mais rentável,mas não sabia qual seria a mais interessante a mim.
O que iluminou-me foi a leitura de um conjunto de pesquisas entitulado "A Amazônia e o desenvolvimento sustentável",publicado pela Embrapa,livro que foca nas questões econômicas da sustentabilidade ambiental.Pesquisei mais a fundo sobre o assunto e decidi-me por fazer graduação em Ciências Econômicas,motivada também por meu gosto em estudos de História e Política.
Ao final da graduação,defendendo minha tese de monografia,verifiquei que a questão sustentabilidade não é atual como o parece;a própria Ciência Econômica surgiu da necessidade de encontrar-se soluções frente a escassez de alimentos e a finitude dos recursos naturais,necessários a sobrevivência humana.
Porém,concluí também,que para uma sociedadetornar-se sustentável, é preciso condicionar desenvolvimento à conservação dos recursos já existentes, e construir novas tecnologias que gerem menores impactos ambientais.
Algumas medidas são tomadas por todo o mundo,ongs trabalham atovamente para a conscientização do povo, conferências são realizadas e leis promulgadas;mas ainda é muito pouco,perante o problema que temos pela frente.
O desenvolvimento sustentável é possível,mas não dentro do consumismo capitalista e da corrupção dos governos.É preciso que esse sistema que objetiva o lucro exacerbado e o dinheiro a qualquer preço,conscientize-se de que nada disso terá valor quando não houver mais o que ser explorado.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Profissão: Professor de fé



Todos os dias me pergunto como cheguei a profissão em que atuo hoje, e se estou no caminho certo.Constato que diversas situações e fatores me levaram a prática docente, e concluo que eu nada escolhi,mas que na verdade,fui escolhida.
Desde pequena,me fascino pelo aprender e pelo ensinar, sempre acreditei que cada coisa nova apreendida e que cada saber ensinado,atuam na contrução dessa grande teia de conhecimento que é a vida.
Não digo que sonhava em ser uma educadora,nunca me considerei uma pessoa dinâmica e comunicativa,mas sempre procurei oportunidades de compartilhar meus conhecimentos,porque acredito que nenhum saber individual tem valor se não puder ser um saber coletivo.
Como pessoa crítica da sociedade,encontrei na escrita,nas conversações e nos debates,situações propicias à procura de mudanças; e no âmbito da sala de aula,até então como aluna,principalmente em minha graduação,encontrei o local ideial para expor minhas idéias.
Até o fim da graduação,trabalhei em empresas,sempre em área administrativa;mas nunca sentia-me feliz,não me via completa fazendo aquilo durante toda a minha vida profissional,na verdade não encontrava sentido em todas as minhas obrigações, a não ser o financeiro.
Por outro lado,nos estudos,meus sonhos socialistas afloravam cada vez mais;tanto que ao término da graduação,me propus a lecionar a adolescentes carentes,assistidos por um projeto social da igreja católica de Jundiaí. Lecionei nesse projeto durante 1 ano,sem remuneração alguma, e justamente num período em que fiquei desempregada.Fiz o que chamam de "das tripas,coração" para me manter nesse projeto,pois eram momentos muito maiores do que o processo de ensino em si;aqueles jovenzinhos,muitos com ares ainda infantis,precisavam crer que tinham oportunidades na vida,de que seriam capazes diante de sua realidade,muitas das vezes dificil no âmbito familiar.
Nessa dificil experiência,mas que ensinou-me muito,vivenciei o processo educacional muito além do ensinar algum ofício ou teorias,vivenciei o ser professor num sentido de professar a minha fé no homem como ser social transformador, que o exerce a cada dia a partir de novas experiências,aprendendo a reconhecê-las;é aí que o educador entra,na condição de conscientizador acerca do mundo,independente do que ele lecione.
O que peço toda noite a Deus,antes de dormir,é que Ele não me deixe desacreditar no poder de transformação das palavras, e que a cada dia,Ele me dê o dom de aprender e de ensinar.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Renda igualitária,uma questão social



Hoje ouvi o seguinte comentário,que tomo como base para o raciocínio de hoje:"O Brasil é um ótimo lugar para viver-se,quando se tem dinheiro.Se você nasce pobre,pode preparar-se para viver a reclamar, e o pior,nada mudará".
É esse o sentimento que muitas vezes observamos nas pessoas, e isso levando em consideração que vivemos num país de um povo otimista,que se vira como pode para sobreviver.
Não tem emprego?Vamos para o trabalho informal,que consiste em 15,3 milhões de trabalhadores(28,2% do total de empregados), segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2009 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Conseguiu emprego formal?Mas os salários são baixos,Uma pesquisa feita em 2003 pelo IBGE comprova que 23% de 100% dos brasileiros com 10 anos de idade ou mais, ocupadas, recebe até 1 salário mínimo, outros 17,1 % ganham mais de 1 a 2 salários mínimos, 8,6% ganham de 2 a 3 salários mínimos, 7,1% ganham mais de 3 a 5 salários mínimos, 4,6% ganham mais de 5 a 10 salários mínimos, 2,1% ganham mais de 10 a 20 salários mínimos e 0,9% mais de 20 salários. Isso mostra que o Brasil tem uma desigualdade muito grande em relação as rendas das famílias.No Brasil em 2010, a média das famílias é de 4 pessoas,para serem sustendadas com essa média salárial.Isso sem contar os aposentados,que com mais da metade do valor da aposentadoria tem de pagar suas medicações e com o restante,ajudar as famílias de seus filhos,pois os mesmos não tem emprego estável (A taxa de desemprego, avaliada pelo IBGE, chegou a 7,2% no primeiro mês de 2010, mostrando um aumento de 0,4% em relação à dezembro de 2009.) e como a renda do idoso é fixa...
E o nosos jovem,tem de trabalhar desde os 16 anos para ajudar na renda familiar, e ainda tem de estudar,e escolas precárias,onde muitas vezes nem aulas têm, ou por falta de professores,ou porque a violência os impede de ir a escola, é a melhor opção ficar em casa.
E por aí vai,formação escolar deficiente,vestibular, e adeus sonho de fazer-se curso superior,não tme como competir com quem paga cursinho pré-vestibular e estudou durante 11 anos em escolas particulares, aprendendo desde matemática e português,até francês e música!
Nosso Nordeste,porque até aqui apresentei mais a realidade do sudeste do Brasil,mais especificamente o nosso sertão, que é onde a desigualdade é a mais acentuada em tudo,onde um programa como o Bolsa família (do qual já falei aqui)faz um grande diferença na vida de muitas famílias,chegando a elevar o patamar do sue nível social.Sim!Porque até então,muitas famílias não tinham praticamente nada,ou se tinham,era baseado numa agricultura de subsistência prejudicada,pelas constantes estiagens.E nesses momentos,como se alimentavam?Sem considerar outras necessidades básicas de todo ser humano,como vestimenta,higiene,saneamento,moradia...artigos de luxo.
enfim,que abramos nossas mentes para refletir que a afirmação inicial que citei no hoje é uma verdade,mas não necessariamente precisa,e nem pode, ser o nosso futuro.
Mantenhamo-nos atualizados sobre a nossa realidade,sejamos críticos e nos demos a participar e propor soluções à sociedade,desde nosso bairro até nosso município.Mudemos por meio de nosso voto eleitoral,busquemos sair da ignorância que a mídia,principalmente a televisiva,nos impõe.
Não digo que todos nós um dia seremos ricos, e que viveremos num pais igualitário,seria utopia,já que vivemos sob o "manto" do capitalismo, que só compreende o mais forte economicamente sobre os desfavorecidos,para sobreviver.Mas digo que podemos ser esses desfavorecidos que juntos,podem sair da ignorância que não nos deixa enxergar nossa condição, e a partir daí,lutar e dozer não a inércia que nos paralisa, e deixar de sermos fantoches que ou creêm que tudo está bem como está,ou que acham que nada pode ser feito,porque isso sim,faz as coisas continuarem como estão, e do jeito que a galera da "bufunfa" gosta.

Brasil: 01/01/11 - A Presidente

Dia importante e histórico à nação brasileira,e quiça ao mundo moderno.Mas por quê?
Primeiro tomando como partida o título,nesse dia demos um passo a frente na democracia de nosso País,no que visa a igualdade,seja ela de raça,cor,ou sexo.
Por sua constituição original,o termo democracia significa "governado pelo povo", e o povo somos todos nós,independentemente de toda a carga histórica que vem por detrás,não deve permitir diferenciações entre os seres humanos.
Falar que uma mulher no poder maior de um país não condiz com mudanças concretas ao povo,além de rincha entre sexos, seria de uma ingenuidade tamanha,que aproxima-se de ignorância histórica,e até mesmo moderna.
Daí novamente o termo moderno,para mostrar que uma mulher Presidente de um país "subdesenvolvido" não significa pouco,assim como as cotas para negros em universidades também não o são.São processos paliativos,porém um começo gradativo de correção histórica (como no caso da escravatura para os negros, e da submissão social para as mulheres),e também têm sentido atual e futuro de influência mundial a mudanças políticas e sociais significativas.
Os dados do chamado mundo moderno (ocidental) são relevantes para essa discussão: Apesar de serem 192 os Estados com assento nas Nações Unidas e a maioria serem repúblicas, o ano 2011 começa com apenas nove mulheres, por todo o mundo, no posto de presidente da república, o total de nove mulheres no cargo presidente da república é atingido precisamente neste 1º de Janeiro, com a posse de Dilma Rouseff, no Brasil. Os outros oito países que têm uma mulher na presidência são: a Libéria (Ellen Sirleaf que, em 2005, se tornou a primeira mulher eleita presidente de um país africano), a Finlândia (Tarja Halonen, eleita em 2006), a Argentina (Cristina Kirchner, desde 2007), a Índia (Pratibha Patil, também desde 2007), a Irlanda (Mary McAleese, eleita em 1997 e reeleita em 2004), a Lituânia (Dalia Grybauskaite, em funções desde 2009), a Costa Rica (Laura Chinchila, eleita em 2010) e a Suiça, onde a presidência da Confederação é renovada todos os anos e, neste 1 de Janeiro de 2011,a socialista Micheline Calmy-Rey sucede a Doris Leuthard.
No Brasil,ainda,As mulheres estudam mais e são responsáveis financeiramente por um número cada vez maior de lares. Apesar disso, os institutos de pesquisa do país mostram que elas ainda ocupam menos postos que os homens e têm salários mais baixos, mesmo quando desempenham a mesma função. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que a participação da mulher na População Economicamente Ativa (PEA) aumentou 2,5%, em 2003, contra 1,6% dos homens. A taxa de atividade feminina no mercado de trabalho, porém, permaneceu inferior à masculina, 50,7% contra 72,9%.
Pesquisa da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) realizada na Grande São Paulo, mostrou que a taxa de participação das filhas no mercado de trabalho cresceu 2,5% em 2004, passando de 53,3% do total do segmento para 54,6%. As esposas aumentaram em 0,7% sua participação, passando de 55,4% para 55,8%, mas a participação das chefes de família diminuiu 1,1%, passando de 60,3% para 59,6%.Sem contar a participação feminina no trabalho informal no país.
Isso tudo,sem entrarmos muito no mérito do mundo oriental,onde as mulheres são a pária da sociedade,sem direitos e voz alguma, e onde esse momento da democracia brasileira é algo muito distante,o que constato com muita infelicidade.
Por tudo isso, e por muito mais, se reflexionarmos melhor,esse é um dia muito importante à nação brasileira, e isso não é um discurso feminista,mas sim pensamentos de cunho humanista.