domingo, 30 de janeiro de 2011

Preconceito e discriminação

Muito se fala de igualdade,de direitos e respeito ao diferente.Mas será mesmo que colocamos isso em prática?
Essa deveria ser uma discussão nem em voga em nosso país,já que vivemos num lugar de tantas misturas e diversidades étnicas.Mas infelizmente essa é uma discussão relevante.O preconceito ainda é muito forte,e como em qualquer discriminação,independe de um porque relevante (se é que há algo que justifique tais atitudes).
Hoje discutia com uma amiga a questão de discriminação regional.A mesma é nordestina,assim como minha família materna.Essa minha amiga me disse que em diversos momentos sofreu preconceito em decorrência de seu sotaque carregado,por concluirem que o mesmo soa "feio" aos ouvidos...
Eu por muitas vezes,por me dizer filha de nordestina,e me declarar de sangue nordestino sim,apesar de ser paulista,deparei-me com olhares espantados de pessoas,que ainda chegavam a comentar,"nossa,mas apesar disso,você é tão intelectual".Pasmem!Como se nascer numa região específica de um pais e herdar um sotaque caracteristico tivesse relação com capacidade mental e intelectual.
E em relação aos negros,a maioria se diz sem preconceitos contra eles,mas se vê um negro rico,"nossa,como ele conseguiu?";ou se faz algo de errado,"ah,só poderia ser negro mesmo".Como se a cor da pele fosse uma limitação à ascensão social,ou um legado ao fracasso e marginalidade.
Em religião,ocorre o mesmo,como se a minha verdade individual fosse necessariamente a verdade absoluta do mundo.Muitas vezes quem expõe a sua doutrina é achincalhado e recebe deboche como resposta de outros,e também há os que querem impor sua doutrina, o que considero até pior.
Viver num país de liberdades reais,significa respeitar o outro,mesmo que ele não seja do jeito que gosto,mesmo que eu não o aceite,porque isso não importa, o que importa é estar disposto a ajudar a quem precisa e dar-se conta de que o valor de cada um independe de cor de pele,raça,etnia,sexo ou status social.O que importa,é que enquanto há vida, o ser humano deve ser preservado e ser levado em conta em primeiro lugar.