segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O ser humano vê,ouve,cheira,toca,
enfim,tem diversos sentidos à experimentar.
Mas me indago se todos sentimos da mesma maneira.
Quero dizer,todos enxergamos as mesmas cores
mas cada um tem uma maneira de ver o mundo.
Todos sentimos os sabores,
mas cada um tem uma preferência específica,
seja doce,salgado,amargo,azedo.
Todos sentimos os aromas,
mas apenas uns perfumes nos atraem.
Todos convivemos em sociedade,
mas cada um de nós porta-se
de uma maneira.
Tem suas opiniões,partidarismos
e modo ético e moral,
conforme seu estilo de vida,educação
e tudo o mais.
Cada pessoa é única,
e isso nos faz diferentes uns dos outros.
E daí, o respeito nas diferenças,
crenças e opiniões é necessário.
Pois cada um tem uma maneira de ver
e viver a vida.E a grande graça de tudo
está justamente nisso.
Pois imagine um mundo sem debates,
reflexões e aprendizados?
Mas o mundo deve viver sem preconceitos,
discriminações e violência.

"Conclusões de Aninha"

Estavam ali parados.Marido e mulher.
Esperavam o carro. E foi que veio aquela roça
tímida,humilde,sofrida.
Contou que o fogo,lá longe,tinha queimado seu rancho,
e tudo que tinha dentro.
Estava ali no comércio pedindo um auxílio para levantar
novo rancho e comprar suas pobrezinhas.

O homem ouviu. Abriu a carteira tirou uma cédula,
entregou sem palavra.
A mulher ouviu. Perguntou,indagou,especulou,aconselhou,
se comoveu e disse que Nossa Senhora havia de ajudar.
E não abriu a bolsa.
Qual dos dois ajudou mais?

Donde se infere que o homem ajuda sem participar
e a mulher participa sem ajudar.

Da mesma forma aquela sentença:
"A quem te pedir peixe,dá uma vara de pescar".
Pensando bem,não só a vara de pescar,também a linhada,
o anzol,a chumbada,a isca,apontar um poço piscoso
e ensinar a paciência do pescador.
Você faria isso leitor?
Antes que tudo isto se fizesse
o desvalido não morreria de fome?
Conclusão:
Na prática,a teoria é outra.