quarta-feira, 19 de junho de 2013

Estudos - Jean Piaget

“O que se aprende nada mais é do que o conjunto das diferenciações devidas à acomodação, fonte de novos esquemas em função da diversidade crescente dos conteúdos”.
“Aprendizagem e conhecimento” parte 1 Jean Piaget

“A inteligência é um caso particular da adaptação biológica... todo e qualquer ato de inteligência supõe um sistema de implicações mútuas e de significações solidárias”.
“O nascimento da inteligência na criança” Jean Piaget

“A imitação é sempre u m prolongamento da inteligência, mas no sentido de uma diferenciação em função de novos modelos”.
“A inteligência tende a um equilíbrio permanente entre a assimilação e a acomodação, ao passo que a imitação prolonga a acomodação submetendo a assimilação”.
“... o brinquedo é essencialmente assimilação – funcional ou reprodutora; assimilação predominante sobre a acomodação”.
“... o jogo (brinquedo) constitui, com efeito, uma transposição simbólica que sujeita as coisas à atividade do indivíduo, sem regras, nem limitações. Logo, é assimilação quase pura...enfim, com a socialização da criança, o jogo (brinquedo) adota regras e adapta cada vez mais a imaginação simbólica aos dados da realidade, sob a forma de construções ainda espontâneas, mas imitando o real”.
“... a imitação prolonga a acomodação, o jogo (brinquedo) prolonga a assimilação e a inteligência reúne-as sem interferências que compliquem essa situação simples”.
“O brinquedo de regras (jogo), que também é assimilação do real ao eu, constitui “uma função vital do pensamento à medida que o indivíduo se socializa”; constitui também um equilíbrio entre a assimilação ao eu e à vida social, ao mesmo tempo que marca a superação do brinquedo infantil no sentido do jogo adulto”.
“A formação do símbolo na Criança” Jean Piaget

“Fazer: Compreender em ação uma dada situação em grau suficiente para atingir os fins propostos;
Compreender: Conseguir dominar, em pensamento, as mesmas situações até poder resolver os problemas por elas levantados, em relação ao porquê e ao como das ligações constatadas e, por outro lado, utilizadas na ação”.
“Fazer e compreender” Jean Piaget


“Pensar é agir sobre o objeto e transformá-lo...pensar não se reduz em falar e nem mesmo em abstrair, mas em agir para produzir e reproduzir”.
“Problemas de psicologia genética” Jean Piaget

“O homem é um ser essencialmente social, impossível, portanto, de ser pensado fora do contexto da sociedade em que nasce e vive. Em outras palavras, o homem não social, o homem visto como imune aos legados da história e da tradição, este homem não existe... desde o nascimento, o desenvolvimento intelectual é, simultaneamente, obra da sociedade e do indivíduo...a personalidade é, pois, uma coordenação da individualidade com o universal”.
“Teorias psicogenéticas em discussão” Piaget, Vygotsky, Wallon.

“... os jogos coletivos de regras são paradigmáticos para a moralidade humana...representa uma atividade interindividual necessariamente regulada por certas normas...o respeito a elas tem em si caráter moral... tal respeito provém de mútuos acordos entre jogadores, e não de mera aceitação de normas impostas por autoridades estranhas à comunidade de jogadores”.
“Para Piaget, a inteligência humana deve ser entendida como um sistema cognitivo, sistema este ao mesmo tempo aberto e fechado; aberto no sentido em que se alimenta, através da ação e da percepção do sujeito, de informações extraídas do meio social e físico; e fechado no sentido em que o sistema em questão não se confunde com uma página em branco, mas é, sim, dotado de capacidade de organização (ciclos)”.

“Os pensadores – Piaget”

Nenhum comentário:

Postar um comentário